jusbrasil.com.br
23 de Outubro de 2018

STJ afasta prescrição em caso de pastor evangélico que chamou umbandista de ‘demoníaco’

Ministros aceitaram o recurso de dois sacerdotes em ação de reparação civil por danos morais em razão de ofensa pública e vexatória contra crença religiosa

examedaoab.com, Agente Publicitário
Publicado por examedaoab.com
há 8 meses

A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) afastou a prescrição decretada em uma ação que corre na Justiça do Amapá. Dois sacerdotes umbandistas da Comunidade Terreiro Cabocla Chica Baiana, de Macapá, processaram a Convenção Nacional das Assembleias de Deus Ministério Missão Pentecostal (Conademp), alegando que, em 2009, um pastor da congregação evangélica teria insinuado que seu culto umbandista seria demoníaco e relacionado à prostituição.

Os ministros do STJ aceitaram o recurso de dois sacerdotes em ação de reparação civil por danos morais em razão de ofensa pública e vexatória contra crença religiosa. A relatora do recurso, ministra Nancy Andrighi, determinou o retorno dos autos ao juízo de primeiro grau para novo julgamento sobre a indenização por danos morais.

Nancy Andrighi destacou que o pedido de indenização por danos morais é oriundo de ação penal sem sentença definitiva e aplicou o disposto no artigo 200 do Código Civil de 2002. A legislação estabelece a suspensão do prazo prescricional para ação de reparação civil originária de processo criminal.

“A jurisprudência do STJ, em situações menos complexas, tem aplicado a suspensão do prazo prescricional quando há investigação penal”, afirmou.

O Ministério Público do Amapá ajuizou ação penal em 2011. Dois anos depois, em 2013, os umbandistas propuseram ação de reparação civil por danos morais.

A Conademp negou que o pastor fosse seu representante. A Convenção das Assembleias de Deus havia requerido o acolhimento da prescrição do pedido pelo esgotamento do prazo de três anos previsto no artigo 206, parágrafo 6º, do Código Civil.

O Tribunal de Justiça do Amapá, ao manter a sentença de primeiro grau, extinguiu o processo com resolução do mérito.

No STJ, a ministra afirmou que, apesar de existir independência entre a responsabilidade civil e a penal, pode haver repercussão da sentença eventualmente proferida na instância criminal sobre a responsabilidade civil, por se tratar do mesmo fato e autoria.

“Por força desse dispositivo legal, enquanto houver investigação na esfera criminal, não se inicia o prazo prescricional da pretensão indenizatória”, apontou.

A ministra indicou ainda que não é possível afastar a aplicação do artigo 200 do Código Civil ‘em hipóteses que envolvam, além do pedido de indenização, discussões relacionadas à existência de responsabilidade solidária entre o autor da ofensa e aquele que consta no polo passivo da controvérsia, em razão da relação de preposto’.

Quer ser aprovado no exame da OAB? Conheça a melhor e mais eficiente metodologia que vai direcioná-lo à sua aprovação. Aqui suas chances de aprovação são calculadas estatisticamente e você tem a oportunidade de acompanhar o seu progresso todos os dias.

O melhor de tudo é que você pode experimentar o nosso método e comprovar sua eficácia sem compromisso. Interessou? Clique aqui e saiba mais.


Fonte: Estadão

96 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Existem outras linhas de religiões de matizes africanas que admitem cultuar demônios, e aí?

Qual o problema de falar que os praticantes de tal religião, adoram o demônio? Se o praticante do culto germanico, afirmar que o orixá é a serpente do midgard? O STJ é tribunal religioso? Os magistrados devem se ater a questões temporais porque as questões espirituais ou de outro mundo não lhes atraí o interesse, já que em nossa República há separação entre Religião e o Estado. continuar lendo

Certamente a Constituição Federal não submeteu o Poder Judiciário à exigências para que opine em questões doutrinárias internas das religiões, porque neste caso, estaria tomando parte em embates de teologias comparadas. continuar lendo

"Existem outras linhas de religiões de matizes africanas que admitem cultuar demônios, e aí?"

Se os mesmos afirmam que não é, porque outra religião pode acusar? continuar lendo

Outra religião pode entender que as entidades q eles cultuam são demoníacas, de acordo com as crenças delas. E daí? E o direito da outra religião em achar q tais entidades estão mais para lá do q para cá? Qual o prejuízo q a crença dele e dos q a seguem, causa a outra crença e seus seguidores? Isso é censura. continuar lendo

eu não vou dizer o minimo, malditos esses ministros que não deixa prescrever um crime banal como esse e deixa prescrever assassinatos, os ministros agora são muçulmanos que mata pelo deus deles, como no caso da revista Charlie Hebdo, cade a liberdade de expressão, à isso não existe no brasil, mas estuprar e depois matar uma criança de 11 anos para ela não denunciar, isso pode no brasil, e só ficar escondido uns anos que o crime prescreve e você esta livre, (pesquisem na web), mas a expressão de ideias, mesmo que eu não concorde, e crime que não prescreve. continuar lendo

Essa colocação está fora do tema, que é prescrição. É só sobre isso que o STJ decidiu. E a meu ver corretamente. Se o pedido indenizatório procede ou não é outra questão. continuar lendo

"Existem outras linhas de religiões de matizes africanas que admitem cultuar demônios, e aí?"
1- Não existe demônio/diabo na umbanda e tampouco no Candomblé, esse ser não nos pertence, e não é de nossa cultura.
2- O Estado é Laico, mas não laicista, o "pastor" associou a Umbanda como Demoníaca e ligada à prostituição, no sentido simples e visão histórica de passar nossa crença como pecadora e pagã; Logo o STJ agiu de modo técnico. Ele pode achar e opinar o que quiser, mas não com o propósito de DIFAMAR O QUE NÃO CONHECE! E eu, como umbandista, posso afirmar que ele foi totalmente intolerante.
3 "O STJ é tribunal religioso? Os magistrados devem se ater a questões temporais porque as questões espirituais" afirmação omissiva, pois se uma pessoa sentiu-se desrespeitada ela tem total direito de procurar à justiça. continuar lendo

Thalyson Silva, determinadas linhas de religiões de matizes africanas cultuam demônios. Seres que trabalham contra desafetos mediante paga de oferendas específicas, aliás, isto é notório e do conhecimento popular. Mesmo quem não é especialista em religiões sabe disto. continuar lendo

Não ficou explícito, mas não creio que a decisão foi purament no âmbito religioso. Ocorre que além de dizer que a crença era, ou é demoníaca, foi relatado de acordo com artigo que os religiosos estariam associados a prostituição. É uma acusação grave e não apenas livre expressão no campo ideológico e filosófico. E isso sim (pelo menos para mim) incorre em discriminação religiosa por acusar tal crença diretamene de envolvimente em deiito penal. Me parece que a questão foi esta, porquê em relação as coisas "espirituais" não há como um tribunal se imiscuir. continuar lendo

Há uma linha tênue entre os conceitos de "intolerância/preconceito/discriminação" e "religião/crença/diferenças entre o que cada um acredita (fé)".

DISCORDAR não é ser INTOLERANTE, mas divergir em opinião.
DISCRIMINAR também deve ser analisado com cautela. Isto porquê eu posso discriminar as PRÁTICAS OU IDEAIS de uma pessoa sem necessariamente descriminar a PESSOA propriamente dita.
PRECONCEITO, como todos já sabem, é um conceito pré-estabelecido, o que é bem diferente de um possuir um CONCEITO estabelecido. SIM, PRÉ-ESTABELECIDO É DIFERENTE DE ESTABELECIDO.

RELIGIÃO, num conceito bemmmmmm simplório, é um conjunto de sistemas culturais e de crenças.
CRENÇA é o estado, processo mental ou atitude de quem acredita em algo ou alguém.
FÉ, segundo o conceito bíblico, é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem (Hebreus 11:1)

Dito isto, tratarei o assunto de maneira IMPARCIAL. Sou Cristão, mas sou um ser racional e desprovido de fanatismo, porquê a nossa fé, ao contrario do que muitas pessoas pensam, exige razão.

Pois bem, a nossa CF nos permite ter a nossa crença, seja ela qual for.

Ora, se eu desejo acreditar que o diabo é o meu criador e o meu deus, ninguém poderá me INCRIMINAR por causa disso, mas certamente poderão DISCORDAR da minha crença.

O mesmo ocorre caso eu creia que DEUS (Jeová) é o único Deus que existe e que a Bíblia é a Sua Palavra.

Eu poderia escolher acreditar em ODIN como os nórdicos acreditavam. Para eles, os seus deuses podiam ser mortos.

Defendo o direito das pessoas crerem naquilo que desejarem mas isso não impede que eu acredite apenas em um Deus (Jeová). Isso não me torna intolerante ou preconceituoso. Eu acredito naquilo que desejo acreditar.

Vejamos o que diz a CF de 88 a respeito do tema:

Art 5º, inciso VI:

VI - e inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias.

“A liberdade religiosa consiste na livre escolha pelo indivíduo da sua religião. No entanto, ela não se esgota nessa fé ou crença. Demanda uma prática religiosa ou culto como um dos seus elementos fundamentais, do que resulta também inclusa, na liberdade religiosa, a possibilidade de organização desses mesmos cultos, o que dá lugar às igrejas”. (BASTOS; MARTINS, 2004, pg. 52).

Agora vem o "problema" no âmbito jurídico.

Se eu tenho o garantido o direito de crer naquilo que eu quiser, e eu for um CRISTÃO, e crer na Bíblia, de acordo com minha crença, os umbandistas são demoníacos.

Você está louco? O que você está dizendo? Calma, antes que alguém tente me crucificar, leiam até o fim.

Vejamos o que diz a Bíblia a respeito do tema.

Deuteronômio 18:9-13: 9 Quando você entrar na terra que Javé seu Deus vai lhe dar, não imite as práticas abomináveis das nações que aí vivem. 10 Não haja em seu meio alguém que queime o próprio filho ou filha, nem que faça presságio, pratique astrologia, adivinhação ou magia, 11 nem que pratique encantamentos, consulte espíritos ou adivinhos, ou também que invoque os mortos. 12 Pois quem pratica essas coisas é abominável para Javé, e é por causa dessas práticas abomináveis que Javé seu Deus vai desalojar essas nações.

1 Samuel 15:23 – “Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar. Visto que rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei.” (aqui a feitiçaria é considerada um grave pecado)

Levíticos 20:6 – “Quando alguém se virar para os necromantes e feiticeiros, para se prostituir com eles, eu me voltarei contra ele e o eliminarei do meio do seu povo”

Levíticos 20:27 – “O homem ou mulher que sejam necromantes ou sejam feiticeiros serão mortos; serão apedrejados; o seu sangue cairá sobre eles”.

2 Reis 21:6 – “E queimou a seu filho como sacrifício, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro e tratava com médiuns e feiticeiros; prosseguiu em fazer o que era mau perante o SENHOR, para o provocar à ira”.

2 Reis 23:24 e 25 – “Aboliu também Josias os médiuns, os feiticeiros, os ídolos do lar, os ídolos e todas as abominações que se viam na terra de Judá e em Jerusalém, para cumprir as palavras da lei, que estavam escritas no livro que o sacerdote Hilquias achara na Casa do SENHOR. Antes dele, não houve rei que lhe fosse semelhante, que se convertesse ao SENHOR de todo o seu coração, e de toda a sua alma, e de todas as suas forças, segundo toda a Lei de Moisés; e, depois dele, nunca se levantou outro igual”.

2 Crônicas 33:6 – “queimou seus filhos como oferta no vale do filho de Hinom, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro, praticava feitiçarias, tratava com necromantes e feiticeiros e prosseguiu em fazer o que era mau perante o SENHOR, para o provocar à ira”.

Isaías 8:19-20 – “Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os adivinhos, que chilreiam e murmuram, acaso, não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos? À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva”.

Ezequiel 13:18 e 20 – “e dize: Assim diz o SENHOR Deus: Ai das que cosem invólucros feiticeiros para todas as articulações das mãos e fazem véus para cabeças de todo tamanho, para caçarem almas! Querereis matar as almas do meu povo e preservar outras para vós mesmas?… Portanto, assim diz o SENHOR Deus: Eis aí vou eu contra vossos invólucros feiticeiros, com que vós caçais as almas como aves, e as arrancarei de vossas mãos; soltarei livres como aves as almas que prendestes”.

Malaquias 3:5 – “Chegar-me-ei a vós outros para juízo; serei testemunha veloz contra os feiticeiros, e contra os adúlteros, e contra os que juram falsamente, e contra os que defraudam o salário do jornaleiro, e oprimem a viúva e o órfão, e torcem o direito do estrangeiro, e não me temem, diz o SENHOR dos Exércitos”.

Miquéias 5:12 – “eliminarei as feitiçarias das tuas mãos, e não terás adivinhadores”.

Gálatas 5:19-21 – “Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam”.

Ufa...

Pois bem...se eu creio em Deus e na Bíblia como Sua Palavra então sou livre para acreditar que as práticas dos umbandistas SÃO SIM PRÁTICAS DEMONÍACAS. Tenho liberdade de pensar assim e de pregar isso nos cultos evangélicos, afinal, esta é a minha crença e está amparada pela Constituição Federal.

Agora, não confundam isso com "INTOLERÂNCIA". Isso é CRENÇA. Seria contraditório acreditar em DEUS e na Bíblia e ao mesmo tempo acreditar nas práticas do Candomblé ou Umbanda.

Por algum acaso estou aqui pregando a morte e a violência aos umbandistas e pais de santo? Estou eu aqui pregando que eles devam ser presos, apedrejados, maltratados?

CLARO QUE NÃO! Isso sim seria intolerância. Eu apenas creio que as práticas deles são abomináveis ao meu Deus. Só isso e nada além disso. Isso não fere a dignidade deles como pessoa.

Diferente do que aconteceu na marcha LGBT, eu não estou defecando em cima dos símbolos religiosos deles. ISSO SIM É INTOLERÂNCIA E UMA TREMENDA FALTA DE RESPEITO.

Eu, como Cristão, tenho todos os umbandistas e praticantes do candomblé, como pessoas comuns, que merecem todos os direitos que eu possuo. Nem mais e nem menos. Direitos iguais, afinal SOMOS IGUAIS, tendo apenas crenças diferentes.

Você jamais verá um pai de santo ser expulso de uma igreja evangélica, ao contrário, ele será muito bem recebido. Façam o teste e verão com seus próprios olhos.

Diante de todo o exposto, acredito que o pastor em questão, embora tenha sido infeliz, não cometeu qualquer ilicitude e não maculou em nada a imagem pessoal do umbandista. Afinal, ele não se referia a honra do individuo a suas práticas.

Darei um exemplo extremista aqui.

Eu serei pai de uma menina em breve. E como pai não quero que ela seja homossexual. Porque isso também vai de encontro a minha crença religiosa. Agora, eu sou contra a OPÇÃO SEXUAL mas não contra o HOMOSSEXUAL. São duas coisas distintas. Não acho certo ser HOMOSSEXUAL mas não acho que os gays devem ser desrespeitados ou maltratados. Eu tenho muitos amigos gays e gosto de verdade deles.

Agora suponhamos que eu diga que os gays irão para o inferno. Ora, isso estaria ofendendo a honra dos homossexuais? Estaria eu desrespeitando-os? Sendo intolerante?

Bem, a Bíblia diz que Deus ABOMINA um homem que pratica sexo com outro. Logo, eu estou exercendo um direito constitucional de NARRAR o que está escrito na BÍBLIA. Lá está escrito isso e fim de papo. Se é verdade ou mentira, aí já é uma questão de fé, mas não posso ser criminalizado por acreditar em algo que está escrito em um livro que considero ser sagrado.

Espero não ser mal compreendido...um grande abraço a todos! continuar lendo

Eu achei seu texto muito bom, mas pecou nessa parte "Vejamos o que diz a Bíblia a respeito do tema."

Vou lhe responder com um texto escrito por uma mãe de santo, é simples e mágico...

Não toco a macumba (instrumento de percursão usado por africanos). Sou Umbandista! Pratico a Umbanda; uma religião maravilhosa que por sua diversidade, reúne um forte alicerce moral, espiritual, cultural e filosófico para seus adeptos.
Ao contrário do que o leigo pensa, a Umbanda não é a religião do "demônio". O Deus do católico, do adventista, do evangélico, e de toda a religião cristã, é o mesmo Deus do Umbandista, pois também somos cristãos. A demonstração de fé dos mais variados cultos a um Único Deus é que difere.
Alguém chama de "endemoniado" ou "louco" aquele que se propõe a caminhar embaixo de um sol escaldante, ou chuva, muitas vezes acompanhado dos filhos pequenos, batendo de porta em porta, tentando arrebanhar adeptos para o seu culto?
Ou aquele que se submete à fogueira santa? Ou ainda aquele que dedica horas à decoração de uma rua, para mais tarde os demais adeptos de seu culto passarem em procissão?
Por que então deixar o preconceito, filho da ignorância, condenar, mal-dizer e rotular os adeptos das Religiões afro-brasileira quando estes estão realizando seus cultos? Como disse Jesus de Nazaré: "há muitos caminhos que levam à morada do Pai"; nós, Umbandistas escolhemos o nosso.
Para os que temem (por desconhecimento) ou difamam o nosso culto, convido para uma visita aosTerreiros.
Venha conhecer a humildade, a paciência e a bondade através dos Pretos Velhos; a alegria e a pureza através dos Erês; o vigor e a força para o trabalho, através dos Caboclos; o poder de cura do corpo e do espírito, através do Povo do Oriente; o caminho da prosperidade através do Povo Cigano; a impetuosidade de Ogum, que nos ensina a combater os sentimentos mesquinhos que atrasam nossa escalada espiritual; o apurado senso de justiça de Xangô e a capacidade de auxilio do Exús e da Pomba Gira.
É lamentável que pseudos entendidos das Religiões Afro-brasileiras arvorem-se em lançar críticas aos seus irmãos de fé, esquecendo o "amavai-vos uns aos outros". Acredito que seja um dever de todo líder religioso, incutir em seus seguidores o respeito pelo seu próximo, independente de suas crenças, pregando a não violência, a não arrogância, o não preconceito, pois a intolerância religiosa tem sido, através dos séculos a principal causa de tantas dores, tantos sofrimentos e tantas guerras, independente do credo religioso professado, somos todos filhos de um ÚNICO DEUS e irmãos em CRISTO. Saravá e muito axé a todos os filhos de Deus.
Saravá Iemajá! "Que todas as energias do universo conspirem para a tua paz, felicidade e progresso" (escrito por Eldeni Camargo)

Você pode expressar dentro da sua religião, a sua repugnação total ao achar "Demonios e etc". Mas quando você menciona para um umbandista religião do "Demonio", está meio errado nisso, não é? continuar lendo

Não sou adepto de nenhum tipo de preconceito, mas lendo o texto (escrito por uma mãe de santo) postado por você, chamou-me a atenção uma parte do texto atribuído ao Jesus Cristo da Bíblia: "Como disse Jesus de Nazaré: 'há muitos caminhos que levam à morada do Pai'; nós, Umbandistas escolhemos o nosso."

Os umbandistas e qualquer outra pessoa tem o direito de escolher o caminho que quiser. Isso é indiscutível. Só que Jesus de Nazaré nunca disse que há muitos caminhos que levam à morada do Pai. Essa declaração não é bíblica, nem cristã. Isso não está na Bíblia e não saiu dos lábios de Jesus.

Jesus disse que Ele é o caminho para o Pai, de maneira que qualquer outro caminho por melhor que seja não levará ninguém lá.

Assim, todas as pessoas têm o direito à livre escolha do que seguir, mas isso não significa que esteja automaticamente certo, independente de ser sincero ou não.

Isso pode soar como radicalismo, mas é assim que Jesus de Nazaré tratou a questão: ou o homem está indo para o céu ou está indo para o inferno; ou entra pela porta estreita ou pela porta larga; ou está no caminho estreito ou no caminho largo; e, obviamente, apenas um dos lados está correto.

E quem define qual é o lado certo ou o errado? Não é nenhum de nós, mas o que Jesus deixou claro nas Escrituras Sagradas: "Disse Jesus: Eu sou caminho, a verdade e a vida e ninguém vem ao Pai a não ser por mim." (João 14.6)

Isso significa que associar qualquer outra entidade ou ser a Jesus Cristo como coadjuvante da salvação ou ajudante espiritual é um desvio daquilo que Jesus Cristo ensinou e determinou para sua igreja na terra: "Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo, quem, porém, não crer será condenado." (Marcos 16.15-16).

Então, perceba. Jesus mandou seus discípulos irem a outros povos, em outras culturas, que já possuíam suas crenças e religiões, para anunciar o evangelho, frisando que a aceitação ou rejeição desse evangelho significaria ser salvo ou condenado. E o que é esse evangelho? Jesus responde: "Assim está escrito que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando por Jerusalém." (Lucas 24.46-47). Veja: pregar para outros povos, já religiosos, sobre o que Ele fez (morreu e ressuscitou) para motivá-los ao arrependimento e receberem a remissão (perdão) dos seus pecados.

O que me motivou a comentar seu post foi a frase da mãe de santo dizendo que há muitos caminhos para a morada do Pai. Segundo Jesus, o Autor e Consumador da Fé, não existe existe outro caminho além dele, por isso os cristãos pregam o evangelho para que todos tenham a oportunidade de conhecer o único caminho que salva: Jesus.

Não me interprete mal, mas não poderia deixar de comentar.
Concluo frisando que quem escreveu o comentário anterior não pecou quando disse "Vejamos o que diz a Bíblia a respeito do tema". De maneira nenhuma. Quando se trata da salvação eterna, do verdadeiro evangelho, do único caminho para o céu ou do combate a todo tipo de engano, somente a Bíblia tem as verdadeiras respostas. Constantemente somos tentados ao "politicamente correto", tentando agregar todo mundo sem ofender a ninguém. Porém, a Bíblia não usa esse tipo de linguagem, de maneira que o que os outros disserem, por mais lógico que seja, não se compara ao que a Bíblia tem a dizer.

Deus te abençoe. continuar lendo

"...posso discriminar as PRÁTICAS OU IDEAIS de uma pessoa sem necessariamente descriminar a PESSOA propriamente dita."

Não entendo como alguém pode discriminar práticas ou ideias sem discriminar a pessoa? '-'

Se vc acredita em Deus e eu discriminar Deus vc não se sentirá ofendido? É no que você acredita, não é? O pior é que nesse caso não foi dito aleatóriamente, foi direcionado a uma pessoa. Sentença justa! continuar lendo

De antemão, agradeço aos comentários de todos, Como eu disse anteriormente, sou Cristão, mas não um louco fanático desprovido de razão.

Permitam-me tecer alguns comentários a respeito de vossos textos.

PARTICIPANTE DUDU STAR

Você diz que pequei quando escrevo "Vejamos o que diz a Bíblia a respeito do tema".

Não consigo compreender em que eu pequei. O Cristão tem a Bíblia como seu livro norteador, sua bussola, seu manual de prática e fé, logo se faz sensato que eu cite as palavras contidas em um livro no qual eu acredito, não é mesmo?

Em seu texto você cita os nomes de alguns Exús. Deixe-me lhe dizer algo que certamente não sabe. Eu já vi algumas vezes estes exús manifestados em pessoas. Já os ouvi, já até troquei algumas palavras com alguns deles. Sim, acredite, sou homem honrado, tenho palavra de ferro, e não apoio a mentira. Acredite quando digo que já vivenciei algumas experiências a respeito - eu morava vizinho a um terreiro.

Eu quero lhe propor um "desafio" e lhe dar uma recomendação singela.

Por "desafio" não entenda "afronta". Considere como uma experiência. Você poderá fazê-la e vir aqui e postar para nós o que aconteceu, Algumas coisas não podem ser teorizadas, restando portanto, como única alternativa, conhecê-las na prática.

"Desafio" você a, durante uma sessão em um centro de Umbanda, se dirigir a um exú qualquer, e perguntar a ele se ele confessa que "Jesus Cristo veio em carne e sangue, morreu por nós na cruz e se tornou o nosso único e suficiente Salvador, sendo o Seu nome o nome sobre todos os nomes". Peço gentilmente que não considere isso um ato desdenhoso, pois sou homem honrado e falo sério. Ora, o que você teria a perder afinal não é? Só irá lhe custar um minuto. Faça a experiência e , por gentileza, volte aqui e nos conte o que aconteceu.

E a minha "sugestão" é que leia um excelente livro chamado "Orixás, Caboclos e Guias".
No mais, um grande abraço!

PARA ISMAEL LINO

Tudo bem meu nobre?

Você cita o seguinte trecho do texto escrito pela mãe de santo:

"Como disse Jesus de Nazaré: 'há muitos caminhos que levam à morada do Pai'; nós, Umbandistas escolhemos o nosso."

Porque não vamos à Bíblia ver o SUPOSTO trecho em questão?

João 15:6 Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim.

Vejo palavras no singular aqui. Jesus foi enfático quando disse que "ELE é o caminho (no singular) e que NINGUÉM vai a Deus senão por intermédio dele.

Porquê não vemos outro trecho?

Atos 3:10 Seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, em nome desse é que este está são diante de vós. 11 Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina. 12 E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.

Aqui também é dito que" em nenhum outro (que não seja Jesus) há salvação ".

A mãe de santo ou distorceu o texto bíblico, ou equivocou-se ou , de fato, não possui o conhecimento do que disse, pois Jesus não falou de" caminhos "e sim de um único" caminho ", Ele próprio.

PARA RODRIGO WILSMANN

Não entende como é possível discriminar IDEAIS OU PRÁTICAS sem discriminar o INDIVIDUO?

Você pergunta se eu me sentiria ofendido caso você desrespeitasse o meu Deus. Sinceramente? NÃO!!! Deus te deu livre arbítrio para pensar, falar e fazer o que quiser (lembrando que tudo tem consequências). Logo, eu não posso tentar roubar de você o livre arbítrio que DEUS TE DEU.

Você tem o direito de xingá-lo, difamá-lo, blasfemar, ignorá-lo...Isso não estará ofendendo a mim e sim a ELE - ou não. Se você disser que sou louco por acreditar em um Deus como o descrito na Bíblia, isso não irá abalar minha moral. Agora se você disser que mereço morrer, ser apedrejado, castigado, torturado porque tenho esta crença, aí sim você estará ofendendo a minha dignidade.

Entenda uma coisa Rodrigo, Deus não precisa que eu o defenda. Creio que Ele mesmo sabe se defender.

Eu costumo dizer que acreditar na Bíblia não requer uma explicação cientifica ou racional. A questão é mais simples do que parece: ou você crê ou não crê e fim de papo.

Algumas pessoas dizem ser loucura acreditar em um Deus que fez todas as coisas, um Deus que pode curar, ressuscitar. Um Deus que não posso ver... Tocar... Sentir...Será mesmo que não posso sentir Deus?

Você pode ver o vento? Mas o sente em sua pele não é mesmo? E o que dizer de um copo de suco? Você pode ver o açúcar diluído? Mas sente seu sabor não é mesmo? Assim acontece com quem deseja experimentar Deus.

Por fim, quero lhe trazer uma questão para reflexão.

Ora, no que parece mais lógico acreditar? Num Deus que criou o mundo e tudo no que nele há ou no Big Bang?

Vejamos...

Quero que você imagine que o sua casa será comprimida a tal ponto que se transformará em um átomo.
Agora quero que comprima seu bairro e sua cidade e crie outro átomo.
Agora quero que comprima o seu país, com todas as pessoas, edificações, veículos nele existentes e reduza tudo isso a outro átomo.
Por fim, para adiantar o processo, pegue toda a massa dos planetas, estrelas, oceanos, e comprima tudo ao tamanho de uma bola de gude.

Então que lhe parece mais lógico? Acreditar que toda a massa existente no universo estava contida em uma bola de gude ou acreditar que houve um construtor?

Ainda não foi suficiente? Então eu proponho um desafio a qualquer - SIM, EU DISSE QUALQUER - cientista do mundo: Desafio ele a comprimir 1 LITRO DE ÁGUA e colocá-lo dentro de 1 centímetro cúbico. Sim, eu estou pedindo apenas que reduza 1 LITRO DE ÁGUA - E NÃO UM OCEANO - a 1 centímetro cúbico. Ora, se todo o universo coube em uma bola de gude porquê um mero litro de água não caberá em um centímetro cúbico?

Ainda não está convencido? Então que tal a seguinte situação...Você está viajando e, durante um determinado ponto da estrada, você avista bloco, cimento, ferragens, telhas e areia. Você segue viagem, chega ao seu destino, se diverte e decide voltar.

Agora você está fazendo o trajeto de volta e naquele local onde estavam os materiais de construção existe uma casa já construída. Pergunto a você: seria mais LÓGICO afirmar que os materiais se conectaram sozinhos para montar a casa ou que ALGUÉM, ainda que você NÃO O TENHA VISTO, construiu a casa?

E agora, no que parece mais RACIONAL acreditar? Pois bem, prefiro acreditar que Deus construiu o planeta que acreditar que uma bola de gude explodiu e tudo se formou.

Abraço a todos... continuar lendo

Mesmo com uma notícia dessa, onde os acusadores, que se dizem donos da verdade e do total conhecimento, condenados por preconceito e por falta de respeito, ainda tem pessoas que não mudam de postura.... continuar lendo

Se fôssemos todos Satanistas talvez este Bra$il fosse melhor. Veja como se comporta a bancada evangélica na Câmara! continuar lendo