jusbrasil.com.br
18 de Maio de 2021

Marido infiel acusa Uber de causar o seu divórcio e pede indenização

Meu cliente foi vítima de um bug no aplicativo", firmou o advogado de defesa durante a audiência onde pede 45 milhões de euros para a empresa.

Eduqc Oab, Agente Publicitário
Publicado por Eduqc Oab
há 4 anos

Marido infiel acusa Uber de causar o seu divrcio e pede indenizao

Um marido francês infiel processou a empresa Uber, acusando-a de ser responsável por seu divórcio por causa de uma falha informática que revelou à sua mulher seus trajetos.

"Meu cliente foi vítima de um bug no aplicativo. Há a opção de desconectar-se, mas em seu caso não funcionou e isso o prejudicou em sua vida privada", explicou à AFP o advogado de defesa David-André Darmon, que acionou o tribunal de Grasse.

Segundo o jornal francês Le Figaro, que afirma que a indenização reclamada pelo cliente é de 45 milhões de euros, as notificações sobre o trajeto do empresário levantaram "suspeitas de infidelidade" em sua esposa.

O francês abriu o aplicativo Uber no smartphone da sua esposa para pedir um veículo. Ao fazer 'logoff' de sua conta no aplicativo, o smartphone de sua esposa continuou recebendo notificações da empresa sobre o trajeto dele.

Cálculo da indenização

Interrogado sobre o cálculo da indenização pedida, Darmon declarou que não podia "fazer nenhum comentário a respeito do valor ou da vida pessoal do seu cliente, que decidiu ser discreto e conservar o anonimato".

"A falha não se limita a esse caso individual", de acordo com o Le Figaro, cujos jornalistas conseguiram atestar ao reproduzir a experiência do cliente prejudicado.

Fonte: CorreioBraziliense

Na sua opinião, a empresa Uber deve ser responsabilizada pelo acontecido?

34 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Impressionante a capacidade do ser humano em achar o "culpado" pela imbecilidade própria. continuar lendo

Cara falou tudo. continuar lendo

Concordo: falou tudo!!! continuar lendo

Nobres colegas, só podia ser na França, o cara traiu a mulher, foi flagrado e ainda tenta se dar bem, o caradurismo deste cidadão extrapola os limites da racionalidade humana. A empresa não tem nenhum responsabilidade pelo ilícito conjugal praticado. Ademais, o cidadão contribuiu para o resultado ao utilizar o smartphone da esposa. No Brasil, este cidadão iria incorrer em violação dos deveres do cônjuges, art. 1.566, incisos: I e V do C.Civil, o que inviabilizaria qualquer pedido de indenização em face da empresa. Caberia sim, a ex mulher pleitear uma indenização por danos morais em face do cidadão ante a flagrante traição conjugal e ainda, pela cara de pau de se passar por vítima de uma situação. Sou da classe masculina, porém não aprovo este tipo de comportamento, não está satisfeito, separem-se, para então, adotar uma vida de promiscuidades. continuar lendo

@euclidesaraujo , discordo bastante de seu ponto.

Uma coisa é a relação entre marido e mulher, que é regulada conforme disse.

A outra é a relação entre o cliente e a empresa. A divulgação de informações ausente a autorização do cliente é vedada, inclusive nos próprios termos de uso do aplicativo é refletido o âmbito em que o share de dados pessoais do cliente pode acontecer (vc chegou a ler?). Se isso aconteceu por falha do app e foi causador de dano ao cliente, é uma conta simples: ato ilícito + dano = reparação.

Longe de mim discutir a licitude ou a probidade da atitude do rapaz, mas certamente se o advogado do rapaz aí for bom, ele vai ganhar a causa. continuar lendo

Nobre Colega, João Paulo P. C. Saborito. Primeiro, o fato ocorreu na França, desconheço a legislação. Segundo. O cidadão utilizou o celular da esposa, razão pela qual descobriu a traição. Aonde ocorreu a quebra do sigilo? Se a empresa acreditou que o celular era dele, temos ai,o principio da presunção. A empresa desconhecia o motivo da solicitação do transporte, portanto, ignorava as intenções do cliente. Terceiro. Não foi a empresa quem provocou a separação do casal e sim, a traição promiscua dele. Portanto, acredito, se fosse no Brasil este cidadão cara de pau, não se daria bem. Dito isto, até próxima colega. continuar lendo

Em minha opinião esta empresa deveria ser premiada! Fez um favor para essa esposa traída! continuar lendo

Bem pensado!!!! continuar lendo

É o poste mijando no cachorro... por favor! Foi burro duas vezes: por trair e por usar o telefone da própria esposa para pedir o UBER... e agora é oportunista. Esse mundo tá virado mesmo! continuar lendo

Fim dos tempos... continuar lendo

Opa, "peraí", mas foi o Uber que causou o divórcio do cidadão ou sua infidelidade em questão? continuar lendo

O que não se sabe não prejudica. O UBER pos a nu a infidelidade. continuar lendo